Escolhendo a fonte de uma marca: 4 passos para não errar!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pocket
fonte de uma marca

A marca é um elemento primordial para a construção do seu negócio. É através dela que o seu produto é reconhecido e lembrado pelo consumidor. Um dos componentes da marca é a fonte a ser utilizada.

A escolha da fonte ideal é importante, pois diz respeito a quem você é, quais os valores e ideais da sua empresa. Sem contar que a fonte de uma marca é a maneira como a mensagem é transmitida aos seus consumidores.

A tipografia escolhida poderá ser usada em toda a comunicação visual da marca, por isso deve ser selecionada com cuidado e fundamentação. Para não ter erro, separamos 4 passos para serem levados em consideração na hora de escolher a fonte da sua marca. Confira!

1. Transmita valores na fonte de uma marca

Como falamos, a fonte é responsável por passar a mensagem da sua empresa. Por isso, leve em conta alguns fatores antes de criar a sua fonte:

  • Qual a personalidade da minha empresa? Entenda qual o perfil da sua empresa, se ela é voltada para um lado mais jovial ou mais sério; se é divertida ou sóbria. O importante é que a fonte seja compatível com o objetivo do seu negócio.
  • Quem é meu público-alvo? Saber para quem a mensagem se destina é fundamental na hora de escolher a fonte. Determinadas fontes podem ser compreendidas melhor por um público do que por outro.

2. Entenda quais os tipos de fonte que existem

Cada fonte tem um caráter distinto, uma forma própria de transmitir a mensagem. A principal forma de diferenciação das fontes de uma marca está na serifa.

A serifa é o prolongamento nas extremidades da letra. Logo, as fontes podem ser serifadas ou não. As fontes serifadas são clássicas e refletem uma imagem de seriedade, tradição e confiabilidade.

Essas fontes auxiliam na leitura, pois as serifas tendem a dar suavidade e conexão ao texto. As mais comuns e conhecidas são: Times New Roman, Didot, Garamond e Caslon.

Já as fontes sem serifa demonstram simplicidade e leveza. Por não possuírem serifa nas extremidades da letra, acabam passando uma imagem limpa e mais moderna do texto. As mais utilizadas são a Helvetica, a Calibri, a Arial e a Franklin Gothic.

3. Não use muitas fontes diferentes

Escolhido qual o tipo de fonte se encaixa melhor com a sua empresa, é hora de aplicá-la. No entanto, tenha em mente nunca usar fontes diferentes.

O ideal é que a sua marca seja traduzida em uma tipografia coesa, ou seja, toda a sua comunicação visual deve combinar com o resto. Portanto, utilize apenas uma — ou, no máximo duas — fonte na sua marca.

A utilização de diversas tipografias pode trazer desconfiança ao consumidor, que acaba não reconhecendo e assimilando a marca.

4. Invista em legibilidade

É impossível transmitir uma mensagem que não pode ser lida, certo? Algumas letras estilizadas demais causam essa confusão na hora de ler — e entender — o que está escrito.

Para conferir como está a legibilidade de uma fonte, existe um teste, que funciona da seguinte maneira: digite a letra ‘i’, em maiúsculo; ao lado, digite ‘1’ e, depois, novamente a letra ‘i’, em minúsculo. Se conseguir diferenciar os três, é um bom indicador que sua fonte é legível.

Lembre-se de que a fonte de uma marca é essencial para a construção de uma comunicação forte. Então seja cuidadoso, analise quais as melhores opções e o que mais se adéqua à imagem do seu negócio. Esses são alguns passos que vão te ajudar a acertar na hora de escolher a tipografia ideal.

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro de mais dicas e informações sobre o assunto!

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pocket
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Ricardo Gonçalves

Ricardo Gonçalves

Leave a Replay

falta um passo para

inovação