Saiba como elaborar uma boa identidade visual para sua empresa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pocket

Muitos empreendedores estão investindo em identidade visual para suas empresas. E não é de se estranhar, afinal esse recurso tem ajudado várias marcas a alcançarem o sucesso desejado.

Talvez você pense que é uma tarefa secundária, mas uma boa identidade visual é elaborada com base em muitos estudos e pesquisas. Isto é, trata-se de uma estratégia eficaz para alavancar seu negócio.

Para lhe ajudar a compreender a importância de uma boa identidade visual, separamos os principais pontos de como desenvolvê-la com êxito. E são eles:

1. Público-alvo

É muito importante, para qualquer projeto, o estudo do público-alvo. E, para sua identidade visual, não é diferente. Estudar seu consumidor lhe ajudará a saber qual a melhor forma de abordagem. Além disso, qual o melhor “tom” de conversa e qual o tipo de linguagem adequado para utilizar.

Lembre-se: esse primeiro tópico não deve ser ignorado em hipótese alguma. Isso porque, a partir dele, os outros pontos poderão ser desenvolvidos com maior facilidade.

2. Boa tipografia

A tipografia é uma peça muito relevante da sua identidade visual. Afinal, ela deve comunicar, de forma clara e eficaz, com seu consumidor. Evite letras muito enfeitadas ou com excesso de curvas.

Simplicidade pode ser a maior aliada nesse momento. Claro que é preciso ser feito um estudo para saber o que realmente será adequado a seu projeto. O tipo do seu trabalho diz muito como o público decodificará a mensagem.

3. Estudo das cores

As cores causam sensações e sentimentos variados nas pessoas. Não pense que elas podem ser escolhidas com base em gostos ou de forma aleatória. Afinal, uma cor pode tanto atrair como espantar seu consumidor.

Uma dica: evite a mistura de muitas cores. Isso pode causar confusão em sua identidade visual.

As cores têm fundamentos, conceitos e funções. Assim, é preciso estudá-las e utilizá-las da melhor maneira possível em seu projeto.

4. Efeitos na medida certa

Não pense que quanto mais efeitos mais sua identidade visual será “chamativa”. Aliás, a palavra chamativa pode denotar sentido bom, mas também ruim.

Se o efeito vier para agregar, será bem-vindo. No entanto, é preciso cautela, domínio da ferramenta e muito senso estético para aplicá-los em sua identidade visual. O uso exagerado de sombras, brilhos e outros efeitos podem tornar sua identidade visual inadequada para impressão, por exemplo.

Para não errar, contrate um profissional de design. Ele saberá como ninguém colocar os efeitos certos, sem perder o brilho e a credibilidade de sua marca.

5. Objetividade

Quanto mais clara for sua identidade visual, mais o público reconhecerá dentre tantas outras. E lembre-se sempre que “menos é mais”.

Por isso, evite que sua identidade visual seja redundante ou ambígua. Opte pela objetividade e pela originalidade. Isso tornará sua marca única e eficaz.

6. Referências

Uma identidade visual bem conceituada traz prestígio e valor à marca. Então, quando for contratar um profissional para fazê-la, deixe claras as referências que você realmente deseja em seu projeto. Isso mostrará como você se preocupou em estudar e identificar um estilo para seu trabalho e para sua empresa.

Por fim, seja criativo e deixe a imaginação rolar solta. Dessa forma, a sua identidade visual obterá sucesso e credibilidade nesse mercado cada vez mais competitivo.

Criação e Design

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pocket
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Ricardo Gonçalves

Ricardo Gonçalves

Leave a Replay

falta um passo para

inovação